Clube do Remo encerra temporada em casa com empate diante do líder da Série C

0
34

Com apoio dos 20.901 torcedores que foram apoiar os jogadores do Clube do Remo, a equipe azulina jogou, nessa noite de sábado (11), contra a equipe do Náutico, no estádio do Mangueirão.

A torcida mais fanática compareceu em peso para o jogo de despedida do Leão Azul, em 2018, de competições oficiais, no qual o Clube do Remo conquistou um bom resultado.

A partida começou com o Clube do Remo pressionando a equipe do Náutico e, aos dois minutos e meio, houve um lance polêmico, que poderia ser pênalti, pois Isac caiu na pequena área, mas o árbitro mandou seguir a partida. Logo em seguida, aos quatro minutos e meio, Nininho (Clube do Remo) cobrou lateral, mandando a bola na pequena área. Isac ficou sozinho e tocou para Dedeco, que veio de trás e só empurrou a bola para o fundo do gol, fazendo 1 a 0 para o Clube do Remo. Logo cedo, a torcida se empolgou com o ritmo do time e extravazou muita alegria nas arquibancadas.

O Leão Azul, se mostrando agressivo, pressionava sem deixar o Náutico nem sequer chegar perto do goleiro remista, que não teve muito trabalho no início da partida. Mas, aos 22 minutos e meio, Thiago Enne (Náutico) acabou deixando três marcadores azulinos para trás e cruzou para Jimenez (Náutico) que, ficando livre (já que a zaga do Clube do Remo parou para ver o atacante acertar o travessão) com a bola ainda batendo no chão e subindo, mas sobrando para ele mesmo marcar um belo gol de bicicleta. Estava decretado o empate na partida por 1 a 1. Ainda assim, a torcida azulina cantinuou a cantar sem parar, empurrando a equipe do Clube do Remo.

Aos 34 minutos, ainda do primeiro tempo, falta perigosa em favor do Leão Azul e Rodriguinho (Clube do Remo) bateu bem a falta, mas o goleiro Luís Carlos (Náutico) acabou por fazer uma boa defesa. A bola ainda bateu na trave e sobrou para o Vacaria (Clube do Remo), que chutou para fora, mandando a pelota por cima do gol. Quatro minutos depois, mais uma falta para os azulinos e, novamente, Rodriguinho (Clube do Remo) bateu com êxito a falta e a bola desviou na zaga, passando por cima do gol, indo para o escanteio para o Leão Azul.

Depois de alguns lances de perigo, encerrou a primeira etapa com o placar mantido em 1 a 1.

Na segunda etapa, logo no início, quando a bola estava em posse do lateral do Náutico, Dedeco (Clube do Remo) pressiona o jogador do Timbu e acaba ganhando, com a bola sobrando nos pés de Isac (Clube do Remo), que manda para Rodriguinho, que chutou rasteiro no canto direito do goleiro Luís Carlos (Náutico), mas o tiro vai para fora.

Logo em seguida, Geandro leva a bola para o meio; deixa para Rodriguinho que para e manda por cima. A bola passa do goleiro e, de qualquer maneira, Gabriel Lima tenta mandar para o gol. Mas a zaga do Timbu sai tirando também de qualquer maneira para fora, evitando o desempate que confirmaria a vitória azulina.

Em mais um ataque remista, Isac manda a bola pela esquerda, cruzando para Dedeco que, por sua vez, também cruza para Isac, que em tabela rápida, manda novamente para o jogador Dedeco. Este chuta a bola de primeira para fora, perdendo um gol incrível e sem goleiro, o que deixou a torcida invocada na arquibancada.

Aos 18 minutos, em mais um lance incrível, Isac manda para Jayme, que só tinha que empurrar para o gol mas, inexplicavelmente, o atleta acaba isolando a bola para cima. Era o Clube do Remo perdendo mais um gol feito. Mas a série de erros não parou por aí. Mais um lance que não tirou só o torcedor do sério, mas igualmente, também, o volante Geandro. Jayme recebeu a bola e esta adiantou. Com esta jogada errada, também acabou tirando do pé do Geandro, que estava bem posicionado. Com isso, Jayme puxa a bola para a si e manda, mais uma vez, para fora, fazendo Geandro reclamar bastante do lance.

Nos minutos finais, ataques perigosos de ambos os lados. Primeiro, veio o Timbu no contra ataque, com Ortigoza (Náutico) disparando em velocidade e mandando um chute de longe, que fez Vinícius (Clube do Remo), se esticando, espalmar para fora, aliviando a torcida azulina. O Clube do Remo viveu ainda um bate e rebate no último lance da partida, que culminou com chute de Rodriguinho. Mas de nada adiantou e o árbitro apitou o final da partida. Dessa forma, o Leão Azul encerrou sua participação nesta temporada de 2018.

A torcida remista viveu uma entusiasmada festa na arquibancada, apoiando o Clube do Remo, do início ao fim. Os torcedores também não se contentaram só com o bom resultado da partida e, aproveitando a festa, fizeram um pedido. Em peso, a galera do Leão Azul gritava: “fica Vinícius”, já que há possibilidade do goleiro azulino sair do clube, aceitando outras propostas. Porém, para a torcida do Leão Azul, é fundamental que o goleiro fique.

“Dos demais jogadores, dizia um animado tercedor, esperamos que uma boa parte que esteve com o Leão e que, principalmente, fez parte da reação que impediu a queda do Clube do Remo para a Série D, ficasse para 2019. Sendo assim, dando continuidade ao trabalho dos últimos jogos, ainda mais, tendo o técnico João Neto no comando azulino. “Ele ajudou e muito o Clube do Remo”, completou outro torcedor.

Um dos fanáticos torcedores remistas (que mesmo em dia de semana se posicionam desde as primeiraa horas da amanhã do lado de fora do Baenão, na esperança de assistir a movimentaçao do plantel azulino) disse, eufórico: “Parabéns Clube do Remo, por mais um ano de glórias. Esperamos que o ano de 2019 seja melhor, pois assim o Leão Azul de Antônio Baena, poderá contar novamente com a sua torcida. Esperamos que este clima de apoio mútuo aconteça, sempre, aqui em casa, no nosso estádio do “Baenão”.

Deixe um comentário