Estádio “Evandro Almeida” (Baenão) completa 101 anos

0
95

Nesta quarta-feira (15), completa 101 anos de existência um estádio de grande importância na história do Clube do Remo. Recentemente, iniciou sua revitalização e ainda passa por reformas para voltar a ser utilizado em 2019.

O “Baenão” começou a ser construído em 15 de agosto de 1917, mas a primeira partida do Clube do Remo, em seu estádio, foi no dia dois de setemsetembrpopP1917, com o Clube do Remo vencendo a equipe do Panther (3 a 1), válido pelo Campeonato Paraense de 1917p.

O Clube do Remo tem muitas histórias boas em seu estádio para recordar, mesmo amistosos que marcaram época neste estádio. A equipe azulina, em 29 de abril de 1965, enfrentou a equipe do Santos, de Pelé, cujo placar final da partida foi 9 a 4 para o “Peixe”, com cinco gols de Pelé. Para a galera remista, a maior atração daquela noite foi ver o Pelé entrando no Baenão com a camisa do Clube do Remo, antes da partida iniciar.

O Clube do Remo fez história, também, quando enfrentou uma fortíssima equipe do Benfica, de Portugal, na qual o maior jogador daquele time, o consagrado atacante Eusébio, também vestiu o manto azulino (assim como o Pelé), isso no dia oito de agosto de 1968. Na memorável partida o Clube do Remo empatou com o Benfica, por 1 a 1, com gol de Amoroso, para o Leão, e de Torres, para o Benfica. Convém lembrar que aquela equipe do Benfica era a base da seleção portuguesa da Copa do Mundo de 1966, que acabou terminando em terceiro lugar na competição.

O Leão Azul, na história do “Baenão”, ainda teve três amistosos com a Seleção Brasileira, com uma vitória, um empate e uma derrota, em agosto de 1972. O Clube do Remo perdeu para a seleção canarinho por 1 a 0. Mas, a nove de março de 1973, aconteceu a vitória azulina, pelo mesmo placar de 1 a 0, com gol de Alcino. Para encerrar os três amistosos, no dia 11 de março de 1973, foi registrado um empate em 0 a 0.

Até hoje, o maior público do estádio do “Baenão” foi no dia sete de setembro de 1976, contra o arquirival (Paysandu) em partida válida pelo Campeonato Brasileiro da Série A, daquele ano, com vitória azulina por 5 a 2, diante de 33.487 torcedores remistas, dentro de um verdadeiro caldeirão. Mas, segundo o livro “Leão Azul Centenário”, escrito pelo jornalista Ferreira Costa, em 1974 o Clube do Remo jogou contra o seu rival e empatou em 0 a 0 diante de 35 mil torcedores.

Como esquecer, igualmente, da última partida da equipe azulina, no dia 1° de maio de 2014, naquela vitória (também uma virada histórica) contra a equipe do Independente, pois o “Leão Azul” havia perdido por 3 a 0, no jogo de ida (em Tucuruí) no 2° turno da semi final do paraense de 2014. Mas, no jogo da volta (o último jogo no “Baenão”, antes da reforma, o Clube do Remo venceu por 4 a 0, avançando para a final, com gols de Ratinho (2), Rony e, para completar, um de Leandro Cearense, de pênalti.

Assim, a torcida azulina espera pelo retorno às atividades normais do “Baenão”, em 2019. Alguns torcedores, que compõe a galera do chamado “Fenômeno Azul”, afirmam que “o Baenão, em breve, voltará em 2019 a fazer a alegria da “Nação azulina”.

Deixe um comentário